Rock Hits -A Web Rádio do seu jeito

menu x
menu x

NOTÍCIAS

[P.U.T] “WE ARE (BR)OTHERS”

[P.U.T], 3 irmãos, vivendo em Paris / Bruxelas, que fazem desde 1998, uma mistura de máquinas contra guitarras, misturando noise, sludge-metal, industrial e punk para criar uma música que empresta a loucura, emoção, peso e raiva.
Pessoal e sem concessões, seus 6 álbuns, 8 maxis, 1 split CD, 4 live, um 7inch, uma compilação de rareties, e mais de 50 contribuições para compilações em todo o mundo, não negam as influências de Godflesh, Killing poke, Sonic Youth, Desprezo ou insano (e muito mais!). A banda sempre intriga no máximo.
No palco, a banda revela seu poder, fazendo tanto barulho quanto músicos de 4 a 5 peças…. intenso, cru, sujo, perturbador … uma máquina destrutiva em movimento

Mais de 180 shows na França, Bélgica, Holanda, Itália, Áustria, Suíça, Rep. Tcheca. e a Alemanha.

Eles tocaram com: SCORN (uk), Dica, Treponem Pal, Sugestão, Zeni Geva (jp), Ufomammut (it), Akimbo (EUA), Burning Heads, Ano Sem luz, Altar de peste (gb), Ultraphallus ( be), Anorak, Compressor de Cabeça Pneumático (Be), Membrana, K-Branding (Be), Herdeiros (au), Io Monade (It), Kapitain Korsakov (ser), Lab °, Último Minuto para Jaffna (it), Toneladas (isto), Grant Nacional (De), Grrzzz, Lucky Funeral (gr), Bomba Negra A, Muckrackers, René Binamé, PPZ30, BAK XIII, Punir a si mesmo, Izah (nl), Sungrazer (NL), LTNo, Comity, Zenzile , Tamtrum, Dee N Dee, Ezequiel, Edwood Jr, General Lee e muitos outros!

Beyet Loïc: Guitarra, voz, programação // Beyet Lionel (que também toca em Missiles of October): baixo, voz, programação // Beyet Nicolas: Guitarra, voz.

“Nós nos voltamos para o nosso amigo de longa data da Ohm Resistance e aliado, Loïc Beyet e seus irmãos, fazendo o heavy metal absolutamente pesado, sludgecore. Eu não tenho escutado música baseada em violão nos últimos anos, e esse álbum atinge todos pontos que me fazem transar com esse mundo de sons.Meu favorito é “Em conflito”, com riffs de guitarra furiosos girando até que as pernas cresçam, e então é picado ao meio enquanto amostras inundam a pista. Todo o álbum é exatamente o que diz na lata – Indus Metal desde 98 – e não se afasta muito da cartilha que me fez amar Hint, Pitchshifter ainda. A arrepiante arte de Alexis Horellou é a cereja no topo deste bolo “.

NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

shares